Bancos centrais em uma encruzilhada: combate a inflação x estímulo à economia

Bancos centrais em uma encruzilhada: combate a inflação x estímulo à economia

2022-01-24 • Atualizado

Os grandes bancos centrais vão seguir caminhos diferentes em 2022. Alguns vão responder à ameaça da inflação, outros vão seguir se concentrando no estímulo ao crescimento econômico e à recuperação pós-pandemia.

Os conselheiros vão começar o ano em ritmo de cautela. Uma atuação brusca para controlar os preços pode acabar com a expansão econômica, principalmente se a inflação esfriar por conta própria. Por outro lado, prolongar a espera de modo a assegurar a retomada pode dar impulso a inflação, exigindo medidas mais rigorosas posteriormente.

Federal Reserve (Fed)

O Fed optou por dar uma resposta à inflação, pois já não faz sentido chamá-la de “passageira”, e vai liderar a turma do contracionismo.

O diretor do Fed, Jerome Powell, vai começar a subir os juros assim que possível, na reunião de março. A economia dos EUA encara a maior inflação em quase 40 anos.

O banco central americano está se mexendo rapidamente para retirar os estímulos do mercado. Com a economia se recuperando e ganhando força, o Fed dobrou a aposta em seus planos de corte nas compras de títulos — ampliando o corte de US$ 15 bilhões para US$ 30 bilhões por mês — após perceber que esses estímulos estavam incentivando a alta da inflação.

Nesse ritmo, o Fed vai encerrar seu programa de compra de títulos até março. Os conselheiros do Fed devem fazer 3 aumentos de 0,25 ponto ao longo de 2022, prevendo queda da inflação e da taxa de desemprego para cerca de 3,5% até o fim do ano.

Banco da Inglaterra (BoE)

O Reino Unido foi a primeira economia do G7 a aumentar os juros desde o começo da covid-19, saindo na frente até mesmo do Fed.

O Banco da Inglaterra aumentou os juros de 0,1% para 0,25%; com a expectativa de um salto da inflação a 6% em abril, o triplo da meta da instituição.

Os traders estão apostando que o BoE vai fazer uma série de aumentos nos juros que promete ser a mais forte em três décadas. A expectativa é de que o BoE aumente a taxa para 0,5% na próxima reunião, marcada para fevereiro. O mercado acredita que a taxa de referência vai chegar a 1% até novembro.

Banco Central Europeu (BCE)

Enquanto Fed e BoE andam na direção do contracionismo, o BCE prefere continuar com os estímulos.

O BCE divulgou planos para aumentar suas compras de títulos e oferecer mais estímulos e liquidez às economias europeias. Os países da Europa estão contando com esses estímulos porque muitos deles estão passando por rigorosas fases de lockdown por causa da variante ômicron. Contudo, os planos do BCE incluem uma redução das compras de títulos em março.

Enquanto Fed e o BoE fazem mudanças na política monetária por conta da inflação, Christine Lagarde, presidente do BCE, afirmou que a pandemia novamente reduziu o consumo na zona do euro e está de novo ameaçando o crescimento.

O BCE descartou aumento na taxa de juros em 2022. O Banco confirmou que vai seguir com sua perspectiva relaxada em relação à inflação. O BCE também indicou que será lenta a saída dos anos de políticas expansionistas.

Banco do Japão (BoJ)

O Banco do Japão vai se manter bem longe do contracionismo e dos aumentos dos juros porque não vê inflação.

O Japão não experimentou o mesmo tipo de demanda por bens e produtos observado em outros países. Os japoneses não tiveram um aumento de salários como aquele dado aos trabalhadores americanos. Como mudar de emprego no Japão é difícil, existe menos pressão para aumentar os salários para atrair trabalhadores ou manter os talentos da casa. Consequentemente, a inflação ainda se mantém baixa no país. Empresas que aumentam preços tendem a perder clientes rapidamente.

O BoJ vai reduzir as compras de dívidas no fim de março e vai dar início a uma redução gradual dos estímulos contra a pandemia. A expectativa é de que o Japão reduza os estímulos econômicos a um ritmo bem menor que o de outros países.

Em 2022, o Banco do Japão vai fazer uma transição gradual dos estímulos contra a pandemia para a tentativa de alçar a inflação aos 2%. Atualmente, ela está levemente estável acima de 0%.

Banco Popular da China (PBC)

Nossa expectativa é de que a China vai diminuir os juros neste ano enquanto tenta amortecer a desaceleração da segunda maior economia do mundo.

O grande distanciamento entre Washington e Pequim vai chegar ao seu auge em 2022, depois dos impactos já sentidos nos setores comercial, financeiro e tecnológico. Os bancos centrais vão trilhar caminhos opostos: enquanto o Fed começa um ciclo de contracionismo, o PBC vai começar a aumentar os estímulos.

A conclusão é que o mundo econômico neste ano se encontra dividido entre regiões diferentes capitaneadas por grandes bancos centrais e suas políticas conflitantes. Trata-se de uma nova dinâmica para o mercado e de uma terra desconhecida, onde não se sabe como avançar. A menos que haja imprevistos, a alta dos juros fará bem às moedas dos países, ao passo que os estímulos farão mal às mesmas. Consequentemente, o USD pode acabar sendo a moeda mais forte deste ano.

Semelhante

Últimas notícias

O CONSUMO E SUA INFLUÊNCIA NA ECONOMIA
O CONSUMO E SUA INFLUÊNCIA NA ECONOMIA

Como entender se uma economia está acelerando ou desacelerando? Quais os indicadores que podem nos orientar nesse sentido? Uma das formas de podermos avaliar essa situação é justamente o consumo das famílias, que se refere fundamentalmente aos bens…

CICLOS DE CRÉDITO NA ECONOMIA E O CASO BRASILEIRO
CICLOS DE CRÉDITO NA ECONOMIA E O CASO BRASILEIRO

Ciclos de crédito (ou ciclos de alavancagem) representam momentos na economia de um país em que as famílias e as empresas se endividam, para investir ou para gastar em segmentos diversos, o que acaba influenciando positivamente o nível de atividade…

CAUSAS DA INFLAÇÃO E RELAÇÃO COM O CÂMBIO
CAUSAS DA INFLAÇÃO E RELAÇÃO COM O CÂMBIO

A inflação (=aumento generalizado e contínuo dos preços de uma economia) é um fenômeno econômico muito importante, afetando praticamente todos os investimentos em ativos financeiros no mercado de capitais…

Deposite com sistemas de pagamento locais

Jogue como um craque

Aviso de coleta de dados

A FBS mantém registros de seus dados para operar este site. Ao pressionar o botão “Aceitar“, você concorda com nossa Política de Privacidade.

Ligue de volta

Um gerente ligará para você em breve.

Alterar número

Seu pedido foi aceito

Um gerente ligará para você em breve.

O próximo pedido de chamada para este número de telefone
estará disponível em

Se você tiver um problema urgente, por favor, fale conosco pelo
Chat ao vivo

Erro interno. Por favor, tente novamente mais tarde

Não perca seu tempo. Acompanhe o impacto das NFP no dólar dos EUA e ganhe dinheiro!

Livro de Forex para Iniciantes

O livro de câmbio para iniciantes vai guiar você pelo mundo do trading.

Livro de Forex para Iniciantes

As coisas mais importantes para começar a negociar
Insira seu e-mail e nós vamos lhe mandar um guia Forex gratuito

Obrigado!

Nós enviamos um link especial para o seu e-mail.
Clique nesse link para confirmar seu endereço e receber um guia Forex para iniciantes gratuito.

Você está usando uma versão antiga de seu navegador.

Atualize para a versão mais recente ou experimente outro navegador para uma experiência comercial mais segura, confortável e produtiva.

Safari Chrome Firefox Opera