1. FBS corretora >
  2. Blog da FBS >
  3. Como Criar Filhos Educados Financeiramente
2023-03-31 • Atualizado

Como Criar Filhos Educados Financeiramente

001-cover -90.jpg

- Mãe! Quero esse robô!

- Opa, pequeno! Não é tão fácil assim.

É isso que as crianças da mais recente Geração Z (nascidas em 1995-2015) provavelmente ouviram enquanto cresciam. Já viveram pelo menos duas crises econômicas e viram seus pais lidando com elas e encontrando formas criativas de superar tempos sombrios. A hipótese otimista é que essas crianças têm um potencial incomparável em termos de educação financeira. As estatísticas já dizem que eles poderão ser a mais dedicada geração de trabalhadores, eficazes nos gastos e nas poupanças!

Se você começar a ajudar seus filhos a se familiarizarem com as finanças desde cedo, imagine o que eles poderão fazer com esse potencial estatístico no futuro!? A responsabilidade é sua, então siga em frente, aprenda com as crianças e seja o melhor exemplo para elas. Preparamos dicas para cada faixa etária, bem como leis universais do dinheiro.

Plano de Ensino por Faixa Etária

Não se sinta perdido! Aqui vai um passo a passo que ajudará a levar em conta as peculiaridades de cada fase na hora de ensinar crianças, pré-adolescentes e adolescentes sobre dinheiro.

002-90.jpg

De 3 a 4 anos

As habilidades cerebrais, orais, motoras e sociais estão se desenvolvendo a um ritmo acelerado. Essa fase é a mais favorável para aprender noções novas, mas básicas. Por que não apresentar a ideia de dinheiro? O seu pequeno já tem necessidades: um doce para levar durante a viagem, um brinquedo ou um urso de pelúcia para ficar calmo durante a noite. Meu filho de 4 anos uma vez me pediu um forno de verdade para fazer um bolo de aniversário. Que ambição!

É boa hora para explicar as crianças como elas conseguem bens ou serviços com dinheiro. Entretanto, lembre-se de que começar esse processo agindo como guru financeiro de Wall Street resultará em fracasso. Em vez disso, prepare-se para recorrer à diversão e ao aprendizado pela brincadeira. Comece com o dinheiro de verdade: deixe que seu filho perceba o que e como são as notas e as moedas.

De 5 a 7 anos

Você ainda é o exemplo e as crianças se espelham em você em tudo que tem a ver com dinheiro. Agora que elas já conhecem o dinheiro e como funciona a filosofia pagar-receber, é interessante explicar como se ganha dinheiro e como elas podem começar a juntar as primeiras moedinhas e poupar para presentes de criança.

Pratique brincadeiras sobre profissões e troque dinheiro por bens em casa. Essa idade é perfeita para a primeira “mesada” pelas atividades rotineiras. Por exemplo: estabeleça uma recompensa por arrumar a roupa suja, limpar o quarto, alimentar os pets, preparar lanches mais simples. Seja criativo na hora de estimular seus filhos a decidir sobre pequenas compras e poupar para aquilo que desejam.

003-90.jpg

De 8 a 10 anos

Chegou a hora das primeiras aulas de gestão financeira. A brincadeira ainda é muito eficiente: experimente jogos de tabuleiro como o Banco Imobiliário — eles ensinarão as crianças noções de estratégia, investimentos, análise de cenário, compras impulsivas e outras questões financeiras que você optar por mostrá-las. Vocês podem montar juntos um pequeno orçamento para mostrar que dinheiro poupado ajuda no planejamento de metas a longo prazo.

Permita que seus filhos sejam criativos nas formas que ganham dinheiro. Deixe que eles inventem atividades e que sejam remunerados pelas mesmas. Nunca se sabe quando nasce um empreendedor ou cientista dentro de um ser humano! Com o dinheiro conquistado, poupado e as mesadas, dê um pouco de independência às crianças. Se a compra não foi muito bem ponderada, ensine seus filhos a aceitar o erro cometido.

De 11 a 13 anos

Chegou a fase do pré-adolescente, aquele que não é mais criança e não é adolescente ainda. Embora queira ser tratado como gente grande, tem pouca compreensão da responsabilidade de suas decisões sobre o que fazer com o dinheiro. Fale sobre a distribuição da mesada entre necessidades e vontades.

Planejem juntos o orçamento tomando como exemplo a compra de roupas. Faça uma lista de necessidades essenciais das crianças e permita que elas comprem um conjunto independentemente. Você mostrará que confia nos seus “projetos de adulto”, e eles ficarão super satisfeitos com o novo visual.

Nessa idade, você pode começar a explicar o que acontece quando a pessoa fica sem dinheiro. Suas crianças devem se familiarizar com noções de empréstimos, dívida e juros.

De 14 a 16 anos

Agora sim você tem um verdadeiro adolescente em casa. Para a sua “ex-criança”, essa fase é bem desafiadora em termos de psicologia, fisiologia e pressões sociais. A decisão de comprar algo agora é influenciada drasticamente pelas amizades, celebridades, TV ou qualquer fonte de moda que vem de fora da família.

Fale com os seus filhos, escute-os com tolerância e compreensão. Se você não puder autorizar uma compra cara, explique o porquê dela não caber no seu bolso no momento. Explique que as coisas compradas não definem seus filhos enquanto pessoas — o que define isso são as personalidades, os interesses e os sonhos. Se a vontade de gastar ainda for forte, motive eles a arranjarem um estágio ou emprego de aprendiz. Dessa forma, poderão experimentar carreiras diferentes, sentir a dificuldade de ganhar dinheiro e saborear aquilo que conquistarem.

Essa fase também é boa para discutir planos para após a conclusão do ensino básico, como faculdade ou qualquer outra opção disponível no seu país. Comecem juntos a poupar para conquistas acadêmicas — mesmo se a contribuição do seu filho for pequena, ele deve compreender o valor do sucesso no futuro.

De 17 a 18 anos

Os adolescentes agora estão na rota da transição para a vida adulta. A pressão social dá lugar ao estresse provocado por instituições de ensino competitivas. A turma está à beira de decisões fundamentalmente importantes para a vida e você, enquanto pai/mãe, deve se fazer presente e dar apoio. Fique ligado nos seus filhos e não trate os desejos deles como brincadeira. Um ambiente equilibrado além da escola ajuda a diminuir o nervosismo e aumenta a abertura a novos hobbies e oportunidades. Explique que a obsessão em torno de uma única universidade é algo prejudicial — seu filho pode conquistar seu sonho trilhando diferentes caminhos na vida.

Valorize empregos temporários. Eles podem deixar seus filhos adolescentes mais confiantes, mantê-los ocupados e remunerados por alguém que não os pais.

Fale sobre metas de longo prazo e formas de juntar dinheiro para realizá-las. É um bom momento para falar de opções de investimento. Estimule seu filho a sonhar grande e descobrir maneiras de chegar mais perto de seus objetivos.

5 Dicas Universais

Embora as abordagens de educação financeira sejam diferentes para cada idade, alguns conceitos básicos se aplicam a todos os casos. Certifique-se de que suas crianças aprendam esses conceitos de cor!

Dinheiro não nasce em árvore

Seria ótimo poder pegar US$100 de uma árvore no caminho para a escola, mas não é assim que o universo funciona. As pessoas ganham dinheiro por meio do trabalho e então podem trocá-lo por bens ou serviços.

Necessidades vs. vontades — nem todas as compras são de igual importância.

As crianças devem aprender a diferenciar as prioridades de necessidades como alimentação, moradia, transporte das prioridades de vontades que deixam a vida mais proveitosa, como viagens, roupas, idas ao cinema ou aquele lanche de rua.

Tente fazer uma colagem de fotos das coisas com as quais suas crianças sonham e marque cada uma delas com N (necessidades) ou V (vontades). Explique como elas precisam encontrar o equilíbrio e administrar tudo isso com planejamento e orçamento adequados.

Gaste dinheiro sabiamente

As crianças devem ser responsáveis por suas finanças e aprender o conceito do “por que pagar mais”. Mesmo se a TV alardear que aquele gadget caríssimo vai transformar seu filho em celebridade na escola, pode não ser assim na realidade. Ensine a criança a comparar opções de produto e analisar a propaganda de cada um deles. Abra uma revista e converse sobre o produto anunciado. Discuta como ele está sendo vendido, quais são as imagens usadas, como que conseguem chamar atenção e quais palavras fazem pensar que o produto é exclusivo e insubstituível.

Pense grande — poupe para o futuro.

Poupar não deve ser visto como um fardo, como algo desagradável. Tente associar o hábito da poupança aos sonhos, pois as pessoas devem poupar não pelo ato de poupar, mas sim pela conquista de seus objetivos.

Seja criativo e flexível quando o assunto for ganhar dinheiro.

Estimule a habilidade natural de pensar fora da caixa. Essa habilidade ajudará não só a tomar decisões sobre como usar o dinheiro, mas também a encarar a vida de forma mais leve em geral. Você pode treinar a criatividade com atividades diárias, tais como aproveitar objetos encontrados pela casa para montagem, remodelando-os em algo novo e útil.

Como adulto, você também pode ir um pouco mais a fundo e aprender outras leis do dinheiro que poderão ajudar você no seu orçamento.

Gênio Financeiro

Pais — fiquem firmes! Seus filhos se darão bem. Eles viajarão, falarão vários idiomas e guardarão economias para vocês. Sejam abertos com os filhos sobre dinheiro: abordem o assunto, apresentem a ideia desde cedo, permitam que seus pequenos sonhem e motivem eles a tomar decisões ponderadas com suas finanças a partir dos seus próprios exemplos. Deixar o dinheiro na cabeça, longe do coração!

Leia também

  • 1833

Aviso de coleta de dados

A FBS mantém registros de seus dados para operar este site. Ao pressionar o botão “Aceitar“, você concorda com nossa Política de Privacidade.

Ligue de volta

Um gerente ligará para você em breve.

Alterar número

Seu pedido foi aceito

Um gerente ligará para você em breve.

O próximo pedido de chamada para este número de telefone
estará disponível em

Se você tiver um problema urgente, por favor, fale conosco pelo
Chat ao vivo

Erro interno. Por favor, tente novamente mais tarde

Não perca seu tempo. Acompanhe o impacto das NFP no dólar dos EUA e ganhe dinheiro!

Você está usando uma versão antiga de seu navegador.

Atualize para a versão mais recente ou experimente outro navegador para uma experiência comercial mais segura, confortável e produtiva.

Safari Chrome Firefox Opera